NEVE & PARA ASPEN, COM AMOR.

27 de setembro de 2018
NEVE  &  PARA ASPEN,  COM AMOR.

… a Kelly Slater do Mundo da Neve.

O Mundo da Neve oferece 3 tipos de estações de ski  :  há os resorts de alta montanha,  cercados de neve por todos os lados  ;   as cidades turísticas que oferecem um centro de ski próximo  ;   e as aldeias de montanha, com os skilifts dentro da cidade.
Bueno,  como nas melhores comidas & músicas,  tem gosto prá tudo  –  a preferência da galera do ski&snowboard se divide democraticamente entre as três opções,  afinal cada uma delas tem lá suas vantagens e desvantagens, por supuesto.
Pois a minha escolha,  por todos os bons motivos,  sempre será por aquela cidadezinha construída há séculos ao pé de uma montanha linda  –  elas sempre tem aquela cara de Natal,  a cultura local é de esportes de neve …  sei lá,  parece que ali tudo conspira a favor de skiweeks felizes,  não tenham qualquer dúvida.
Conheci muitas nestas décadas ,  quase todas muito parecidas por sua beleza,  pela atitude sempre gentil dos locais,  pela qualidade do centro de ski …  a lista é longa e cheia de nomes adoráveis como Chamonix,  Whistler,  Heavenly, Courchevel, Park City … ou Vail,  Breckenridge, Saint-Moritz, Val Thorens …  e por aí vai.
Dentre todas estas belezuras ,  a minha 001/A,   a Top,  a créme de la créme,  a Kelly Slater do Mundo da Neve …   é Aspen.
Ali tem uma beleza natural impressionante nas 4 estações do ano …  tem história e cultura,  arquitetura,  serviços públicos,  segurança  …  tem lojas lindas,  museus,  música, gente namorando nas ruas …  tem pista de ski na frente do supermercado,  restaurantes e bares de todo o tipo  – e mais 3 montanhas ao lado,  são centenas de quilômetros de pistas para todos os níveis …  tem ski prá cegos,   tem espetáculos teatrais,  shows,  semana gay …
Tem prefeito esquiando com o caixa da loja,  tem celebridades,  tem gente falando línguas indecifráveis …   e usando roupas incríveis.
Tem esportes radicais alternativos ( um monte ),  tem vôo de balão,  noites estreladas inesquecíveis,  famílias patinando depois do jantar …
E se o vivente ainda tiver a sorte de ser brasileiro e arranhar um portuñol legal,  pode-se preparar para,  mmmm,   ” dar certo ”  em qualquer momento  :    a galera de atendimento de quase todo tipo de serviço é latina,  e,  creiam,  eles a-do-ram brasileiros que olham em seus olhos e dizem,  sorrindo,  ”  Hola, como andás  ?   “.
Um lugar incrível, brothers, juro.
Quase tão legal quanto a Ferrugem/SC.
Aloha do beto valle