Na Mídia - Neve - Esportes de neve - Turismo de neve

Na Mídia +

Dicas úteis

Na Mídia

Banff – na Mídia

Dicas

Banff na Mídia Dicas dos Turistas

DICAS EXTERIOR – BANFF

Quem ama o frio certamente não vai se importar de enfrentar um vôo de 14 horas entre São Paulo e Calgary, em Alberta, com conexão em Toronto. Durante a viagem até Banff, que leva mais duas horas de carro, já é possível fazer as primeiras fotografias, dignas de cartões-postais. O cenário, repleto de pinheiros que cercam as Montanhas Rochosas, compensa o cansaço e é uma provinha do que o turista vai encontrar nos dias seguintes.

Da janela de um dos 770 quartos Fairmont Banff Springs, o maior hotel de Banff, estilo castelo, você se sente parte da paisagem paradisíaca, o lugar perfeito para uma lua-de-mel inesquecível, uma viagem em família ou entre amigos. Também é possível encontrar outras opções de hospedagem mais econômicas.

Banff, na província de Alberta, é uma cidadezinha que tem pouco mais de 8 mil habitantes. Durante a temporada de esqui, chega a abrigar 24 mil pessoas que vêm dos quatro cantos do planeta. Todas buscam as pistas de Sunshine Village, a 20 minutos do centro de Banff. Lá, praticantes de esqui e snowboard estão em casa.

Mas, se você nunca se aventurou em esportes de inverno, não se preocupe. Além da possibilidade de aluguel de roupas apropriadas para encarar a neve e equipamentos, o estreante pode tomar uma aula de esqui ou snowboard (em grupo sai mais em conta) antes de subir as montanhas. Ainda que sem muita familiaridade com os esquis, com alguns tombos e escorregões e a promessa de muitas risadas, a experiência será sinônimo de diversão. Se o seu negócio for apenas curtir a paisagem, não se acanhe: os guias recomendam que o turista suba, mesmo assim, para admirar as Montanhas Rochosas e fazer as melhores imagens lá de cima. No entanto, ver a empolgação dos praticantes de esqui é contagiante: dificilmente alguém conseguirá deixar de experimentar o frio na barriga de uma descida.

Outra boa pedida em Banff é conhecer o Parque Nacional de Banff, Patrimônio da Humanidade, tombado pela Unesco. Ele tem 6.641 quilômetros quadrados de natureza exuberante. E como escurece tarde, aproveite ainda para dar uma voltinha pelo centro da cidade.

A Avenida Banff, com suas lojas e restaurantes, divide quatro quarteirões que podem ser percorridos a pé, sempre com as Rochosas ao fundo. Como as lojas ficam abertas até por volta das 21h, depois de jantar em um dos restaurantes ou bares – o grego Balkan é divertidíssimo, com dança e a tradicional quebra de pratos no final – aproveite para comprar lembrancinhas para a família e os amigos.

Fonte: Zero Hora

BANFF: UMA CIDADE E TRÊS OPÇÕES PARA O ESPORTE

Estações de Banff somam 3.135 hectares esquiáveis, divididos em 274 pistas. E precisa de mais?

Camila Anauate/AE

Banff – Encravado nas Montanhas Rochosas canadenses, o Parque Nacional de Banff é o paraíso do esqui: reúne três áreas exclusivas para o esporte a uma curta distância de até 60 quilômetros. Juntos, os resorts Banff Mount Norquay, Sunshine Village e Lake Louise somam 3.135 hectares esquiáveis, divididos em 274 pistas e capazes de receber 46 mil pessoas por hora.

A cidadezinha de Banff, ponto de partida para os passeios, fica a 130 quilômetros de Calgary, maior município da província de Alberta e principal acesso para os turistas. Pequena, porém charmosa, tem infra-estrutura de cidade grande, com hotéis, bons restaurantes e um centro comercial ao redor da Banff Avenue. São lojas de roupas, equipamentos para esqui e até produtos indígenas.

Um roteiro imperdível é almoçar em um restaurante panorâmico bem no meio da Sulphur Mountain, uma das mais altas do parque, cuja base esconde a Upper Hot Springs, uma piscina natural de águas quentes. Lá de cima, observa-se a paisagem que tornou Banff Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1985: a cordilheira rasgada por lagos e coberta de geleiras.

Banff também é o melhor local de hospedagem para quem pretende conhecer os três resorts. A distância até Norquay é de 6 quilômetros. Até Sunshine Village são 15 quilômetros e para Lake Louise, 59.

NORQUAY

Considerado um resort para famílias, é o menor dos três e o mais perto do centro. Com 28 pistas e 5 lifts, reserva 20% de espaço para os novatos no esporte, 36% para quem tem nível intermediário e 40% para os experts. Apesar de ter as descidas menos atraentes, é a única estação que oferece esqui noturno a 2.133 metros de altitude, nas noites de sexta-feira. Tem um ótimo conjunto de restaurantes e lanchonetes. Site: Mt. Norquay.

SUNSHINE VILLAGE

A estação Sunshine Village é rodeada por três montanhas: Goat’s Eye, Mount Standish e Lookout Mountain – esta a mais alta, a 2.730 metros de altitude. No total, são 107 pistas, 20% para iniciantes, 55% para esquiadores intermediários e 25% para experientes, e 12 teleféricos. A trilha mais longa tem 8 quilômetros.

O resort está instalado no meio da montanha, a 2.160 metros de altitude, e conta com apenas um meio de hospedagem, o Sunshine Inn, com 84 quartos. O acesso é feito por um sistema rápido de gôndolas. A atração principal é a piscina ao ar livre. Site: Banff ski packages.

LAKE LOUISE

Eleita por revistas especializadas o melhor cenário entre as estações de esqui da América do Norte, Lake Louise tem uma montanha a 2.637 metros de altitude com 10 meios de elevação, que levam a 113 pistas, 45% delas para avançados. O espaço para iniciantes e intermediários é bem parecido: 25% e 30%, respectivamente. No resort, os visitantes têm mordomia total. Há um amplo salão com lareira para quem prefere apenas observar os esquiadores. A estrutura conta com lanchonetes, cafeterias e restaurantes, além de lojinhas de souvenir. Site: The Lake Louise Ski Area.

Fonte: Estadão.com

ESQUI – BANFF, CANADÁ

O cenário das Montanhas Rochosas canadenses é belíssimo, e prova disso são os oito milhões de turistas, vindos de múltiplas partes do planeta, para Banff anualmente. No verão, os lagos exibem uma surreal cor esmeralda; no inverno, com temperaturas que oscilam entre -8º e -25º C, a paisagem se embranquece, coberta por camadas e camadas de neve seca, o sonho de qualquer esquiador. O cenário está protegido pelo Parque Nacional de Banff, com 6 641 quilômetros quadrados (o terceiro maior do mundo e patrimônio universal). Conseqüência: ali vivem livremente ursos, alces, veados, coiotes, linces, lobos e esquilos, entre outras espécies. A pequena Banff, uma cidadezinha de 10 mil habitantes, está no meio disso tudo, agasalhada pelos quatro montes que a circundam. Mas, para esquiar, é preciso locomover-se um pouco. São três as estações mais próximas: Norquay (a seis quilômetros, mais familiar), Sunshine Village (a 8 quilômetros, com neve imaculada no cume das Rochosas) e Lake Louise (a 56 quilômetros, enorme, com estupendas vistas). No mapa no estado de Alberta, no centro-oeste do Canadá. Um hotel, o The Fairmont Banff Springs, é um palácio construído há mais de 100 anos por um magnata das ferrovias canadenses. É um verdadeiro paraíso de águas termais e piscinas de águas sulfurosas. Para quem não esquia a cidade é pitoresca e simpática, vale um passeio. No verão, a atividade mais popular por lá é o trekking.

Fonte: viajeaqui.abril.com.br

BANFF

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Banff é um município canadense que se localiza dentro do Parque Nacional de Banff, no sudoeste da província de Alberta. Situa-se a cerca de 135 km ao oeste de Calgary pela Trans Canada Railway e a cerca de 58 km ao leste do Lago Louise. É um importante centro turístico no Canadá, cercado por belas paisagens montanhosas, sendo muito procurado também pelos que praticam esportes de aventura.

PARQUE NACIONAL DE BANFF

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

O Parque Nacional de Banff está localizado nas Montanhas Rochosas canadense, na província de Alberta, e situa-se numa faixa de 120-200 quilômetros ao oeste de Calgary. O parque cobre uma área de 6.641 km² e contém mais de 1.600 quilômetros de trilhas. No próprio parque está localizado o município de Banff.

O Parque de Banff foi o primeiro parque nacional do Canadá e hoje é um dos principais centros turísticos do país, atraindo mais de 4,5 milhões de visitantes por ano, os quais encontram nele, além das belas paisagens, inúmeras opções de lazer, como fontes termais, montanhismo, campinismo, trekking, golfe, esqui (alpino e nórdico), além de inúmeras outras.

No parque vivem inúmeros animais selvagens como ursos pardos e negros, alces, veados, cougars, lobos, carneiros selvagens, caribus, renas, coiotes, linces, marmotas, etc. Um dos problemas enfrentados pela administração do parque é justamente o atropelamentos de animais nas auto-estradas que cruzam o local.

Antes de tornar-se um parque nacional, em 1885 Banff era uma pequena reserva com fontes termais. Seu tamanho foi aumentado e no ano de 1887 tornou-se o “Parque Nacional das Montanhas Rochosas”. O nome Banff vem de uma estação ferroviária da Canadian Pacific Railway, o qual acredita-se ser originário do município escocês Banffshire.

Em 1984 o parque foi declarado patrimônio mundial pela UNESCO, juntamente com outros três parques nacionais canadenses das Montanhas Rochosas: Yoho, Jasper e Kootenay.

MOSTRA BANFF

Realizado pela primeira vez em 1976, com apenas uma noite de projeções, o festival vem crescendo e ganhando renome internacional.

Atualmente, o evento tem a duração de uma semana e envolve a competição de filmes, projeções de slides, palestras dos melhores montanhistas do mundo, exposições de fotografias e uma feira de livros de montanha.

Após o festival, uma seleção dos melhores filmes percorre mais de 80 cidades em 28 países. É o The Best of the Banff Mountain Film Festival World Tour, que passa por países como Estados Unidos, Islândia, Austrália, Argentina, México, Índia, Nova Zelândia , África do Sul, bem como o continente europeu. Em 2000 incluiu, pela primeira vez, a América do Sul, onde foi realizado no Chile.

THE BANFF CENTRE

Localizado dentro do Parque Nacional de Banff, na Província de Alberta, Canadá, é considerado patrimônio da humanidade pela UNESCO.

The Banff Centre é a única escola de nível superior da América do Norte dedicada às artes, à cultura das montanhas e ao desenvolvimento de liderança. Atualmente o centro é uma referência internacional para uma variedade de estudos e projetos artísticos.

Mais informações sobre o Banff Centre.

Fonte: 10ª Mostra Internacional de Filmes de Montanha

A DESCOBERTA DO BANFF NATIONAL PARK – CANADÁ

Uma vez mais o blog saiu do seu campo base… desta vez para conhecer o lendário Banff National Park (criado em 1885), nas montanhas rochosas do Canadá.

É de facto o verdadeiro paraíso para qualquer amante da natureza e dos desportos de montanha, com uma fauna e flora ímpar. A partir da pitoresca vila de Banff podemos realizar todas as actividades possíveis e imaginárias na montanha…fazer um simples trekking, uma travessia de vários dias (cuidado com os ursos!), escalar um pico, visitar um glaciar …. (quem não quiser perder muito tempo a planear a visita ao parque, existe uma grande e diversificada oferta deste tipo de serviços por parte de empresas locais).

De “Inverno” a neve marca presença sendo possível realizar uma infinidade de actividades(como se pode constatar nas fotos, já no Verão a neve dava um ar da sua graça).

Um Post inteiro não seria demasiado para descrever uma semana neste parque, mas para não ser demasiado maçador deixo a seguir algumas fotos e também algumas ligações para quem quiser obter mais algumas informações.

Fonte: Blog Refúgio da Montanha

PARQUE NACIONAL DE BANFF

Lagos e rios azul-celeste, incríveis picos de montanhas e densas florestas fazem parte das maravilhosas paisagens do Parque Nacional de Banff. Você pode caminhar, andar de bicicleta ou dirigir através das diferentes áreas do parque.

O Parque Nacional de Banff, em Alberta, oferece uma paisagem extraordinária com picos íngremes e cumes cobertos de gelo que compõem as Montanhas Rochosas de Alberta. O parque é conhecido por atividades recreativas que acontecem o ano inteiro. Durante o verão, as áreas mais panorâmicas podem ser acessadas em caminhadas de um dia. Banff tem mais de 80 trilhas conservadas que abrangem cerca de 1.600 km de área do parque, e elas variam desde caminhadas de lazer até árduas trilhas de longa distância. Uma curta caminhada especialmente agradável que sai da cidade de Banff levará você a passar pelas incríveis Bow Falls e ao longo do belíssimo Rio Bow em trilhas fáceis de seguir. Você também pode desfrutar do cenário a cavalo, de bicicleta ou em uma carruagem.

Faça um passeio de gôndola até o topo da Montanha Sulphur para ter uma linda vista da paisagem de Banff. No topo, várias trilhas de caminhada se espalham ao longo dos cumes da montanha: seja qual foi a sua escolha, você não tem como errar. Se você está procurando algo menos extenuante que uma caminhada na montanha, você pode desfrutar de paisagens pitorescas percorrendo uma trilha de passarela.

Banff é um resort de esqui de classe internacional e oferece uma ampla variedade de esportes de inverno, incluindo esqui estilo downhill, esqui estilo cross-country, caminhadas com sapatos de neve, corridas de tobogã e corridas de trenó puxados por cães.

Informações sobre o Parque Nacional de Banff: Canadian Tourism Commission – Suite 1400, Four Bentall Centre – 1055 Dunsmuir St./Box 49230 – Vancouver, BC V5P 1L2 Canadá. Telefone: 00xx1-604-638-8300.

Uma das paisagens mais exuberantes do Parque Nacional de Banff é o Lago Louise, com suas águas cor de esmeralda em um anfiteatro natural. Na próxima página, saiba mais sobre uma visita ao lago Louise.

Fonte: HowStuffWorks – Parque Nacional de Banff

LAGO LOUISE

Praticar canoagem nas calmas águas do Lago Louise é um excelente passeio em família. Não se esqueça do binóculo: com ele você verá a vida selvagem ao longo da margem do lago e nas cercanias das montanhas.

Picos de montanhas cobertos de gelo e geleiras formidáveis transformam as profundezas da cor esmeralda do lago Louise em um anfiteatro gélido e natural. Situado no Parque Nacional de Banff, em Alberta, ele oferece uma das paisagens mais estonteantes do mundo e é um local de férias muito popular. O lago Louise é um diamante no cenário rústico e suas águas cristalinas, geleiras e quedas d´água fazem dele o lago mais famoso do Canadá.

A área do lago Louise é conhecida como um dos melhores locais para caminhadas no Canadá. A paisagem é entrecruzada por trilhas que você pode percorrer através de áreas de matas e em altas pradarias, com paradas em locais de observação que oferecem paisagens de tirar o fôlego. Você também pode alugar cavalos para um passeio sossegado ao redor do parque ou alugar um barco a remo ou canoa para desfrutar das águas espelhadas do lago.

A hora do chá no meio do esplendor do Parque Nacional de Banff espera por aqueles que caminham 7 km, ida e volta, ao longo da trilha do lago Agnes, que começa na costa do lago Louise. A trilha leva você através de uma floresta antiga magnífica além do lago Mirror e da cachoeira Bridal Veil antes de chegar à casa de chá do Lago Agnes, onde você pode parar para descansar e lanchar. Mais adiante da trilha, uma caminhada mais longa e mais árdua, mais adequada para crianças mais velhas, leva você a outra casa de chá, a The Plain of Six Glaciers.

Informações sobre o Lago Louise: Canadian Tourism Commission – Suite 1400, Four Bentall Centre – 1055 Dunsmuir St./Box 49230 – Vancouver, BC V5P 1L2 Canadá. Telefone: 00xx1-604-638-8300.

Fonte: HowStuffWorks – Lago Louise

A VIDA EM UM PARQUE NACIONAL

Helena Artmann

Desde que vim morar no Canadá que tentava arranjar um jeito de sair de Calgary, cidade de mais de um milhão de habitantes, “status” conquistado quando já morávamos aqui e a elevou à terceira maior cidade do país. Pode ser ridículo, para brasileiros, dizer que ela é grande… O problema é que Calgary não verticalizou e isso a faz ocupar uma área do tamanho de Nova York, com seus dez milhões de habitantes! É tudo distante e cobrir 100 km em um dia é mole. E desagradável.

Assim, no começo de fevereiro, nos mudamos para Banff, o primeiro parque nacional do Canadá, criado em 1885 ao redor das águas termais de Cave & Basin. É o segundo da América do Norte, sendo o primeiro Yellowstone, nos EUA. Este foi o início de um sistema de parques nacionais e provinciais que hoje protege mais de 20.000 km2 de um belíssimo e rico ambiente de montanha. Banff é considerado, pela UNESCO, Patrimônio Cultural da Humanidade e são 6.641km2 de área, atrás apenas de Jasper nos parques de montanha.

A cidade tem cerca de 7.500 habitantes e está situada a uma altitude de 1.383 metros. São cerca de 1.600 km de trilhas e, das poucas que eu já conheci, posso dizer que são bem feitas e mantidas como manda o figurino. A alta estação é julho e agosto (verão) mas podemos ver turistas o ano inteiro, totalizando mais de 4 milhões por ano! Como é um parque nacional, é obrigatório ter um passe para visitá-lo, mesmo que você só queira ficar na cidade que, aliás, tem seu nome tirado de Banffshire, na Escócia, terra de dois diretores da Canadian Pacific Railway. Aqui estão localizados sete lugares históricos do Canadá: Skoki Lodge, Refúgio Abbot Pass, Passo Howse, Cave & Basin, Banff Park Museum, Hotel Fairmont Banff Springs e a Estação Cosmic Ray no Pico Sanson. As montanhas têm entre 45 e 120 milhões de anos e a mais alta do parque, Monte Forbes, chega a 3.612 metros de altitude. Temos mais de mil glaciares e o rio Bow, que corta Banff, vai desaguar lá na baía de Hudson, atravessando pelo menos três províncias inteiras.

A história da conquista destas montanhas, como não poderia deixar de ser, é cheia de tragédias e sucessos e eu a começaria contando em 1885, quando a estrada de ferro foi terminada. Nesta época, sem cumes virgens na Europa, os europeus viraram seus olhos para outros países e continentes. Em 1896, Philip Stanley Abbot foi a primeira vítima a morrer na América do Norte enquanto escalava uma montanha, o Monte Lefroy, logo acima do lago Louise. Por causa deste acidente, as Rochosas se tornaram um dos lugares mais conhecidos do mundo para se escalar. A Canadian Pacific Railway respondeu aos pedidos de tornar as Rochosas um lugar seguro trazendo guias alpinos suíços, que trouxeram também novas técnicas e habilidades. E, se você ligou o nome à pessoa, é isto mesmo: o Refúgio Abbot Pass, citado no parágrafo anterior, tem o nome dado em homenagem a Philip Stanley Abbot…

Banff está no coração das Rochosas Canadenses, a apenas 126 km de Calgary, onde morávamos. No inverno, temos três estações de esqui espetaculares nos arredores da cidade: Monte Norquay, quase dentro de Banff, Sunshine Village, a cerca de 15 min da cidade, e Lake Louise, a 50 km de distância – por sinal, estas estações são as únicas do continente dentro de um Patrimônio Cultural da Humanidade da UNESCO e, por isso, elas sofrem restrições ambientais duras. As águas termais de Cave & Basin viraram lugar histórico, mas as Upper Hot Springs continuam funcionando, com águas que beiram os 40oC o ano inteiro.

Pelo menos dois hotéis da cidade são citados no livro “Ecoholic – Your Guide to The Most Environmentally Friendly Information, Products and Services in Canada”, da Adria Vasil: o Banff Park Lodge, no centro da cidade, é o primeiro hotel independente a ganhar quatro folhas verdes do Audubon Green Leaf Eco-Rating Program, e o Banff Springs Hotel, da cadeia Fairmont, talvez o hotel mais bonito e impressionante da cidade. A cadeia Fairmont escreveu O guia de como tornar um hotel ‘verde’ (“The Green Partnership Guide”) e seguem a cartilha. O Chateau Lake Louise, também da cadeia Fairmont, situado na beira do lago de mesmo nome, recebe 40% de sua energia de fontes renováveis. Se quiser saber mais sobre hotéis verdes no Canadá, visite TerraChoic (que cita 6 hotéis em Banff).

Viver em Banff é privilégio de poucos, regido pela rigorosa lei municipal que regula o desenvolvimento e o meio ambiente. É preciso trabalhar no vale Bow e, desde que me mudei, tenho respondido uma pergunta com a mesma freqüência com que respondo qual o meu nome: onde eu trabalho? A natureza aqui é exuberante e faz com que cada esquina tenha um ângulo diferente de uma montanha distinta. Somos vizinhos de alces, ursos negro e grizzly, pumas, caribou, cabrito montanhês (mountain goat), vários tipos de aves, pequenos roedores como esquilos e até cobra! No contrato de aluguel da nossa casa, um dos itens dizia que não podíamos deixar a porta da nossa varanda aberta, para não entrar bichos em casa…

E viver no Canadá também significa viver de acordo com as estações do ano: elas são bem definidas e trazem cores e atividades próprias. Temperaturas também. Mal dá para acreditar que moramos o ano inteiro no mesmo lugar, de tão diferente que é o inverno do verão, além das duas meia estações. Estamos na primavera e, apesar das temperaturas ainda baterem os -10oC de manhã, a natureza tem outro cheiro, outro ar. Os bichos estão saindo e já foi visto o primeiro urso grizzly do ano (aliás, vale ressaltar que a cada ano eles são vistos mais cedo!). As árvores, aos poucos, começam a ganhar folha novamente e tudo volta a florir. É lindo. Mas a minha estação preferida ainda é o longo inverno. Não há nada, para mim, que se compare ao silêncio da neve caindo. Aquela paisagem toda branca faz qualquer um sonhar…

Um livro chamado “The Book of Banff – The Insider’s Guide to What You Need to Know to be a Local in Banff”, de Bob Sandford, tem, logo no começo, uma lista divertida sobre morar por aqui:

1. Viver em Banff não significa necessariamente que você esteja em contato com o lugar;

2. Se você quer entender a paisagem, você tem de fazer parte dela;

3. Montanhas podem ser difíceis e perigosas de se explorar;

4. É a atenção intensa demandada para se explorar as montanhas que o faz se sentir vivo nelas;

5. O relacionamento com um lugar é construído pessoalmente; a intimidade desenvolvida lentamente com o lugar que moramos é que vai moldar nosso caráter e, finalmente, nossa identidade;

6. A estética da localidade é um caminho para um senso natural e profundo de Banff;

7. O que ganhamos por desenvolver o senso de lugar é uma apreciação do legado único que herdamos das raízes do Parque Nacional de Banff.

Curioso? Comece visitando estes sites:

  • Banff, Alberta, Canada – Official Website of the Town of Banff, Alberta
  • Pleiades Massage and Spa and Canadian Rockies Hot Springs
  • Sources thermales des Rocheuses canadiennes – Canadian Rockies Hot Springs
  • The Banff Centre – Arts, Education & Conferences in Banff, Alberta Canada – se estiver em Banff durante o Banff Mountain Film and Book Festival, nao perca! O Brasil recebe o Banff World Tour, com o melhor do festival do ano anterior mas o Banff Centre vira uma festa com inumeras atracoes gratuitas, inclusive. O festival acontece todo ano, normalmente no final de outubro, e dura uma semana.
  • Fonte: Eco

    2016 © Point da Neve Viagens e Turismo - Grupo S7 - Todos os direitos reservados - Proibida reprodução Desenvolvido por Segundo Andar